sábado, 2 de agosto de 2014

Quando relacionamentos na internet viram alvo de chantagem e extorsão

First Cyber police unit launched in Iran
Compartilhado de: http://gazetanews.com
O número de pessoas sendo enganadas por esquemas na internet é cada vez mais comum e a criatividade de fraudadores fica a cada dia mais variada. Esta semana, o Broward Sheriff’s Office emitiu um alerta sobre golpistas que se passam por policiais em sites de relacionamento na internet.
Nesse golpe, depois que a pessoa com quem se relaciona em sites de namoro ou salas de bate-papo envia fotos nuas, o fraudador diz ser um policial e alega que a foto fora enviada a um menor de idade. Para que a pessoa não seja “presa”, o bandido pede o pagamento de uma “multa”.
Em São Paulo, Isis Campos contou ao GAZETA que acabou caindo em outro esquema supostamente internacional, no qual acabou perdendo quase $2 mil reais em abril deste ano e sofre ameaças de uso de sua imagem para a criação de outro perfil. “Jamais pensei que ocorreria comigo, mas infelizmente por falta de vigilância da minha parte, ocorreu”, refletiu ela, que agora sofre ameaças das próprias pessoas que a enganaram. “E que sirva de alerta a todos os brasileiros ou qualquer pessoa de outra nacionalidade também”.
Criminosos se passam por policiais
Segundo agentes do BSO, investigadores ficaram sabendo desse tipo de fraude em março e mais de 100 vítimas já podem ter perdido milhares de dólares em várias regiões da Flórida e outros estados, como Nova York. É por isso que, no dia 29, detetives do BSO do Strategic Investigation Division, que trabalham com o Florida Department of Law Enforcement, emitiram um alerta ao público.
O crime descrito pelo BSO, apelidado de “sextortion”, é definido como um trote. A maioria das vítimas envolvidas é usuária de fóruns ou site de relacionamento, principalmente o Mbuzzy.com. Os suspeitos iniciam conversas com as vítimas, eventualmente pedindo que mandem fotos nuas. Assim que a vítima envia, o suspeito se identifica como um policial do BSO. O suspeito declara que a foto foi enviada para um menor de idade e pede que a vítima pague uma multa pelo Western Union ou com ordem de pagamento para evitar que seja presa através de suposto mandado de busca federal.
Vítimas com medo do constrangimento público ou de serem presas já pagaram entre $500 e $1.500 dólares. Nesse caso, o criminoso usa o argumento da lei como forma de exigir o pagamento rápido, mas o crime tem outras variações, como agentes do Customs and Border Patrol, em casos de pessoas tentando comprar medicamentos on-line.
Desde 2010, policiais encontraram esquemas similares, como do pedido de pagamentos ao IRS ou casos falsos de familiares acidentados ou presos, disse o BSO.
Quando uma foto vira motivo de chantagem
“O meu perfil no Facebook é Isis Zizi Fruto, uma mescla de nome com apelido e sobrenome, o 2f5d0_gty_online_dating_dr_110610_wg1que, ao meu entender, dificultaria a intromissão de hackers e scammers”, disse ela, que sempre usou a rede social para se comunicar com familiares que vivem em outros estados ou fora do Brasil e nunca adicionou estranhos. Porém, em abril, um homem bonito, que tinha uma foto de perfil junto com uma criança, a convidou para ser amiga. “Confesso, era um homem charmoso e bonito. Quem não quer falar com pessoas bonitas, inteligentes e educadas e, de certa forma, culta?”.
O homem supostamente se chamava Leslie Scharninghausen, e os dois começaram a marcar encontros virtuais. Ele contou a Isis que era um soldado americano servindo em Bengazi (na África). “Como os estadunidenses têm base em quase todo o mundo, nada disso foi novidade e como nunca tinha me correspondido com um militar americano, fiquei curiosa”, explica Isis. “A princípio, além de escrever em inglês, ele também escrevia em português, algo que questionei. Mas imediatamente ele disse que tinha um amigo chamado Henry Connor que tinha uma namorada brasileira chamada Edna (que mais tarde descobri que se chama Maria Edna Rodrigues Lauand Alves), que também faz parte do esquema fraudulento”.
Ele contou a Isis que era capitão do exército, viúvo, com um filho de 9 anos chamado Donald. “Ele é tão astuto que realmente conseguiu me envolver em pouco tempo de conversa, e ele é bom mesmo, pois ninguém até então tirava um alfinete de mim e ele conseguiu me arrancar R$ 1.900 de pronto. Após fazer o depósito, me deu a luz de olhar mais a fundo o Facebook e comecei a encontrar vários perfis com os sobrenomes parecidos e fotos semelhantes das quais ele tinha me enviado”.
Isis encontrou variações do mesmo perfil, com nomes como Grey Scharninghausen, Grey M. Scharninghausen, Leslie M. Scharninghausen, Lancaster Scharninghausen Jr. e Evans Scharninghausen. “Fiquei furiosa e nesse meio tempo uma das namoradas dele entrou em contato comigo, dizendo do relacionamento com ela e me enviou o comprovante de uma transferência que ela fez para ele para Dubai, utilizando a conta dessa tal Edna, que mora em Fortaleza.
Depois de pesquisar no Facebook, Isis diz que encontrou o verdadeiro dono das fotos divulgadas. Foi quando ela recebeu uma ameaça de que suas fotos seriam usadas para a abertura de um novo perfil no Facebook, enviando mensagens para todos os seus contatos.
“Desesperada, parei de trabalhar e passei a enviar um comunicado para cada um de meus contatos, avisando desse falsário”, disse.
Isis entrou em contato com autoridades brasileiras e passou a divulgar sua história para jornais fora do Brasil. “Quero que essa quadrilha, essa máfia, seja descoberta e que as autoridades brasileiras e americanas usem dos seus meios para enquadrá-los. Tenho certeza que a polícia americana usará de toda a sua experiência e eficiência para prendê-los, agora sobre a polícia brasileira, tenho as minhas dúvidas”.
Dicas do BSO do que deve ser levado em consideração:
Nenhuma agência de polícia irá entrar em contato com você por telefone, exigindo dinheiro ou qualquer forma de pagamento;
Cidadãos devem ter cuidado em conduzir qualquer tipo de transação on-line originada em salas de bate-papo online;
Nunca dê qualquer informação pessoal em resposta a um telefonema ou e-mail de estranhos;
Se você receber um telefonema de qualquer pessoa se apresentando como agente federal ou algo parecido pedindo dinheiro, recuse a demanda e denuncie a ameaça para a polícia local imediatamente